Usando o FGTS para comprar ou construir sua casa

Usando o FGTS para comprar ou construir sua casa

Como é sabido o governo federal liberou o saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de contas inativas para os trabalhadores que tem direito a ele, analisa-se que esse dinheiro foi ou será usado para pagar dívidas ou com outras despesas que as famílias estavam deixando de lado em razão da crise.

Porém, esse não é o uso a que se destina esse fundo, ele foi criado  para proteger o trabalhador demitido sem justa causa e pode ser usado na compra da primeira casa própria ou na construção desta e para esse fim a conta não precisa estar inativa, ou seja, a qualquer momento que o trabalhador desejar fazer uso desse fundo para esse fim será possível.

Para fazer uso desse dinheiro é preciso atender a alguns requisitos mínimos:

  • É preciso haver pelo menos 36 meses de depósitos no fundo
  • O beneficiário não pode ter outros imóveis em seu nome

Lembramos que essas regras podem ser melhor explicadas e negociadas em uma agência bancária autorizada a realizar o uso do FGTS.

Dito isso cabe esclarecer que esse uso do FGTS fará parte de um financiamento maior, mesmo porque, na maioria dos casos não é possível realizar a compra ou obra, apenas com o valor do FGTS.

E quando se faz um contrato desse tipo com a Caixa Econômica Federal por exemplo, é preciso observar rigorosamente os prazos estipulados por ela, quem já realizou esse tipo de transação sabe que é preciso cumprir etapas específicas da obra para que a Caixa faça a liberação dos valores.

Aqui fica nossa dica de ouro, escolha prestadores de serviços capazes de cumprir esses prazos, para não ter dor de cabeça depois, a G10 Concreto tem equipamentos modernos justamente para ajudar nisso, ganhar tempo, economizar material e cumprir os prazos determinados para a conclusão da sua obra.

Dessa maneira será mais fácil realizar o sonho da casa própria.

O tempo de cura do concreto

O tempo de cura do concreto

Para aqueles que estão acostumados a lidar com concreto e todas as suas fases, talvez esse assunto possa parecer um assunto simples, mas a cura do concreto é na verdade um procedimento decisivo para o bom resultado final da sua concretagem, você pode ter feito tudo certo até a aplicação do concreto nas estruturas, porém se descuidar se na hora da cura pode comprometer toda a sua obra.

Mas o que é exatamente a cura do concreto? É o processo de desaceleração da evaporação da água, permitindo a completa hidratação do cimento, que após misturar-se com a água libera calor através desta reação exotérmica, reação esta, que pode chegar a quase 85º Celsius em 4 (quatro) dias, causando fissuras internas e até externas à estrutura. A cura, então, consiste no procedimento de controle da umidade e da liberação do calor de hidratação desse concreto, o objetivo é evitar que o concreto perca água para o ambiente e retraia abruptamente, o que acarreta o surgimento de fissuras.

As consequências de uma cura mal feita ou mesmo não feita são terríveis para a obra, entre elas podemos citar:

  • Aumento da permeabilidade e da carbonatação;
  • Aumento de fissuras por retração hidráulica ou por secagem;
  • Redução da resistência e da durabilidade do concreto;

Para evitar esse tipo de contratempo à cura torna-se um procedimento indispensável, para realizar esse procedimento é interessante saber que, existem formas diferentes de fazê-lo, vamos citar aqui os três principais:

Cura úmida

Deve-se manter a superfície do concreto úmida por meio da aplicação de água na sua superfície, manter o concreto coberto com uma lâmina d’ água ou totalmente imerso em água para evitar que ocorra evaporação da mesma.

Cura química

Consiste em aplicar um produto que forma uma película na superfície do concreto e que impede que haja evaporação da água contida nele.

Cura térmica

Feita em câmaras, é feita em ciclos nos quais o concreto é aquecido e depois resfriado, isso garante a umidade necessária ao concreto, acelerando a velocidade de ganho de resistência pelo aquecimento. É considerada a cura mais eficiente e é muito utilizada em empresas que trabalham com concreto pré-moldado.

Por fim a dúvida que fica é: por quanto tempo devo realizar a cura? Como citado anteriormente, nos primeiros 4 (quatro) dias o concreto tem a maior liberação de calor de hidratação, portanto, é importante nesse período, realizar uma cura abundante para manter a umidade do local e reduzir seu calor de hidratação, e continuar por mais três dias com uma intensidade menor como diz a norma da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) que o mínimo são 7 dias.

Abaixo listamos algumas Normas regulamentadoras que tratam desse assunto:

  • NBR 6118:2014, versão corrigida 2014 – Projeto de estruturas de concreto – Procedimento;
  • NBR 14931:2004 – Execução de estruturas de concreto – Procedimento.
Quais os custos e despesas diretas e indiretas de uma construção?

Quais os custos e despesas diretas e indiretas de uma construção?

Quando pensamos em iniciar uma construção, seja de grande ou de pequeno porte uma das dificuldades que a maioria das pessoas enfrentam é mensurar o custo total desse empreendimento, por isso é tão comum encontrarmos obras inacabadas e muitos construtores queixosos porque sua obra ou reforma não acaba nunca e já está muito mais cara do que o planejado.

Para estipular um valor a ser gasto que corresponderá à realidade encontrada ao final da obra deve-se conhecer bem os tipos de despesas que se terá.

O primeiro passo a ser dado é fazer um orçamento, com ele você saberá quais os custos que a obra terá, existem dois tipos de custos: os diretos e os indiretos, sendo:

Custos Diretos

Consistem nos custos relacionados aos serviços diretamente relacionados à obra, isto é, são custos obtidos pela soma de gastos com produtos e serviços utilizados diretamente na construção, por exemplo: escavações, concreto, armação, elevadores, quadros elétricos, cujos consumos são contabilizados com maior facilidade na unidade de medição e de pagamento dos serviços.

Custos Indiretos

Os custos indiretos são aqueles decorrentes de atividades e serviços que não estão diretamente relacionados com a obra, mas que contribuem indiretamente para a execução dos serviços utilizados nela. Por exemplo, o engenheiro residente, o gerador provisório de energia elétrica, o refeitório e o alojamento estão relacionados indiretamente com todos os serviços.

Impostos

São todas as taxas e tributos que se paga sobre todas as atividades relacionadas à execução da obra do início até o final.

Além disso, existe um cálculo, que no ramo da construção é chamado de BDI (Benefício e Despesas Indiretas), ele é uma margem usada para calcular o valor de venda de uma construção, porém ele pode ser utilizado para calcular o seu custo, ajudando assim na formulação de um orçamento mais real.

O BDI é a soma de todos os custos diretos e indiretos, juntamente com os impostos mais o lucro que se deseja obter com a venda da obra, para realizar seu cálculo é preciso ter todos os dados da obra em mãos, há uma série de manuais na internet instruindo como fazer esse cálculo.

Esses são os fatores principais a serem considerados no momento de elaborar um orçamento para sua obra, lembrando que cada obra deve ser avaliada individualmente. Dedicando tempo e esforço na hora da preparação do orçamento, será possível chegar ao fim da sua obra sem grandes surpresas.

Tecnologia – Caminhão Bomba Lança da G-10

Tecnologia – Caminhão Bomba Lança da G-10

O Grupo G10 está em constante processo de modernização, para isso buscamos sempre novas tecnologias para melhorar ainda mais nossos serviços. Tendo isso em vista hoje a G10 Concreto oferece a seus clientes três Caminhões Bomba Lança com mastro distribuidor articulado, sendo dois de 30 metros e um de 45 metros, além da já conhecida como Bomba de Mangote.

O diferencial do caminhão Bomba Lança é o alcance do seu mastro, pois ele será usado para distribuir o concreto cobrindo distancias muito maiores do que aquelas abrangidas pelos caminhões comuns em conjunto com tubulações.

O custo / benefício da aplicação dos serviços de um caminhão Bomba Lança são excelentes. Veja abaixo as vantagens de utilizar estes equipamentos:

Com ela é possível reduzir o número de pessoas dedicadas a concretagem;

  • Racionalização de equipamentos (carrinhos de mão, guinchos, elevadores, etc);
  • Proporciona movimentos mais precisos e várias posições diferentes para o despejo do concreto, vencendo grandes distâncias verticais e/ou horizontais;
  • Uniformidade e segurança nas operações;
  • Aplicação contínua do concreto. Evitando paralisações, causa mais comum do aparecimento das indesejáveis “juntas de concretagem”;
  • Agilidade na aplicação do concreto na obra, tornando possível concretar grandes quantidades com até 80% de agilidade em relação a distribuição manual;
  • Melhor acabamento e resultado final.

Indicação: Pequenas, médias e grandes concretagens.

Estes equipamentos são a solução para a os desafios e demandas da construção civil, a G10 Concreto oferece serviços de bombeamento com equipe qualificada para atuar em qualquer tipo de obra.

Entre em contato e solicite seu orçamento.