Agendamento de Concreto

Como fazer o agendamento do concreto para sua obra!

Na hora de construir ou reformar surgem muitas tarefas inesperadas, isso faz com que haja atrasos e gastos não desejados, um dos caminhos para evitar isso é fazer um bom planejamento, existem fatores que podem ser antecipados desde o início da obra, um deles é a aplicação do concreto, é algo que certamente será necessário, para que você já possa se preparar de antemão para essa etapa, listamos abaixo os passos a serem tomados para agendar a aplicação do concreto na sua obra.

Lembrando que esse procedimento é adotado para o concreto da G10 Concreto, veja então o que você vai precisar fazer:

  • Antes de agendar a aplicação do seu concreto é necessário comunicar a empresa do seu interesse para que um vendedor da G10 possa fazer uma visita à sua obra para a medição do local e conferir demais detalhes necessários para a correta aplicação.
  • Depois disso, caso esteja tudo certo com a obra, você pode agendar o dia para a aplicação do concreto, lembrando que é preciso fazer isso com cinco dias de antecedência, então, programe-se antes.
  • O concreto usinado pode ser utilizado em todo tipo de obras, desde as menores, em residências pequenas, por exemplo, até as de grande porte como a construção de edifícios.
  • Para isso a G10 Concreto oferece diversos serviços para atender com mais qualidade o perfil da sua obra, serviços como bombeamento de concreto e diversidade de concreto: seja sobre resistência (Mpa ou FCK) ou trabalhabilidade.
  • São oferecidos vários tipos de concretos, tais como: Bombeável, Graute, Permeável, Pigmentado (colorido), Extrusado e Especiais.
  • Outra dúvida bastante comum é em relação ao clima, qual seria o melhor para realizar a aplicação para que não haja problemas futuros, em relação a isso a dica é que o concreto não se dá bem com extremos, ou seja, se o clima estiver demasiadamente seco ou úmido o resultado final do seu concreto pode não ser satisfatório

É importante que na hora agendada para aplicação, você tenha na sua obra a quantidade necessária de colaboradores para a realização do serviço e também que a obra esteja na etapa correta para receber a aplicação, ou seja, não agende o concreto se sua obra não estiver ainda pronta para recebê-lo.

Por fim, a aplicação do concreto usinado representa economia de tempo e de dinheiro para sua obra é um investimento que vale a pena.

Expressões do ramo da construção civil!

Expressões do ramo da construção civil!

Cada área de conhecimento e serviço possui um linguajar próprio que a maioria das pessoas que não pertencem a esse grupo tem dificuldade para entender, no caso da Construção Civil são tantos os termos específicos da área que já existem até dicionários para esses termos.

Aqui vamos expor os mais interessantes deles, para você que está iniciando ou já trabalha nessa área e tem curiosidade em aprender.

Alguns são termos técnicos, já outros são do vocabulário informal, mas já estão tão enraizados que são aceitos como oficiais.

  • Para as pessoas comuns “adoçar” seria tornar algo doce, porém no ramo da construção adoçar significa nivelar, aplainar, desbastar saliências ou alisar e aplainar madeiras.
  • Agregado é um termo mais conhecido, na construção civil ele fala especificamente sobre os materiais que podem ser adicionados à preparação do concreto.
  • Cura é a molhagem do concreto, após o fim de pega, ou seja, o endurecimento inicial do concreto, a fim de evitar a evaporação da água necessária às reações químicas (hidratação) nas primeiras horas após a aplicação do concreto.
  • Nata – A nata é como se denomina a parte mais fluída do concreto, formada por água e cimento, ou água, cimento e areia. O aparecimento da nata em uma porção de concreto é um efeito indesejável, pois indica que houve segregação do concreto ou exsudação. O lançamento e adensamento inadequados do concreto são uma das causas do aparecimento da nata. Outra causa muito comum são as falhas nas fôrmas do concreto armado. Pequenas aberturas nas fôrmas permitem o escape da nata. A consequência imediata deste problema é o enfraquecimento do concreto e o surgimento de nichos de concretagem.
  • Carote ou Corpo de Prova – Amostra do concreto endurecido, especialmente preparada para testar propriedades como resistência à compressão, módulo de elasticidade, etc, através de uma prensa hidráulica. Os corpos de prova podem ser moldados em cilindros com concreto fresco, seguindo as recomendações e procedimentos das normas vigentes ou retirado do concreto já endurecido usando um equipamento chamado extrator de testemunhos. O termo carote é utilizado no português europeu para designar corpo-de-prova.
  • Girica – Ferramenta semelhante ao carro de mão utilizada para transportar o concreto a curtas distâncias e no plano. Para todos os tipos de construção especialmente onde o acesso à área de trabalho é restrito.
  • Trabalhabilidade – Propriedade que determina o esforço necessário para manipular uma quantidade de concreto fresco com uma perda mínima de homogeneidade.

E se você já ouviu por aí sobre tempo de pega do concreto e ficou confuso, não se preocupe, pois isso se refere ao tempo de solidificação do concreto, ou seja, depois que ele começa a enrijecer e não é mais possível trabalhar a massa.

Como deve ter ficado claro há uma série de termos e expressões que são usadas com sentido bem específico no ramo da construção civil, mas por sorte na internet há uma serie de dicionários que podem explicar cada uma delas, caso queira aprofundar seus conhecimentos nessa área só precisa se dedicar a pesquisa de cada um deles.

Veja 6 tipos de concreto que poderão ser utilizados na sua obra

Veja 6 tipos de concreto que poderão ser utilizados na sua obra

Esse texto foi feito para aqueles que pensam que concreto é tudo a mesma coisa, que não tem diferença, saiba que tem sim e muita, na mesma quantidade das diferentes necessidades de cada obra.

Cada tipo de concreto possui uma finalidade diferente e é muito importante ter clareza do que se quer para sua obra para saber exatamente qual deles utilizar, existem vários tipos e muitos ainda podem ser adaptados para sanar necessidades específicas, aqui vamos dar alguns exemplos dos mais utilizados, vejamos:

Concreto Convencional

É o mais utilizado e certamente o mais conhecido quando o assunto é construção, ele possui consistência mais dura, geralmente é manuseado manualmente com auxílio de carrinhos de mão para o transporte.


Concreto Armado

Possui em seu interior barras de ferro que podem variar e espessura, esse tipo também é bastante utilizado em construção principalmente nas de grande porte, através de bons cálculos a utilização desse tipo de concreto pode representar economia para o construtor.


Concreto Protendido

É utilizado onde se tem a necessidade de maior flexão, ele representa um bom custo benefício, pois se feito adequadamente dispensa manutenção ao longo dos anos, é utilizado principalmente na fabricação de pré-moldados. Nesse tipo há a inserção de cabos de aço de alta resistência no concreto.


Concreto Leve

É feito com base em agregados mais leves, dessa forma sua massa final é de aproximadamente dois terços da densidade de um concreto feito com agregados naturais. Esse tipo reduz os custos com concreto e o peso final das estruturas.


Concreto bombeável

Esse tipo de concreto é produzido com certas características de fluidez para facilitar o processo de bombeamento através de tubulações, essas tubulações são ligadas a uma bomba de concreto que é alimentada pelo caminhão betoneira, simplificando, esse concreto deve ser um pouco mais líquido para facilitar o bombeamento, atualmente é muito utilizado na construção civil pela facilidade de manuseio.


Concreto Rolado

Esse é utilizado como base em pavimentações urbanas, pisos de estacionamentos e em barragens de grande porte.

Existem ainda concretos específicos para blindagem de radiação, nesse caso, são adicionados agregado naturais mais pesados, aumentando em cerca de 50% o peso final do concreto, essa ainda é uma das maneiras mais econômicas de se selar as construções que alocam materiais radioativos.


Bem, como ficou claro, são muitos os tipos de concretos e cada um deles oferece um resultado final diferente, cabe ao construtor identificar exatamente qual a necessidade de sua obra e a partir disso escolher o concreto mais adequado para ela.

A importância da Segurança na Construção Civil

A importância da Segurança na Construção Civil

O setor da construção civil é uma entre várias outras áreas a que mais registra acidentes de trabalho e em alguns casos é segundo mais letal aos trabalhadores, então aqui, segurança é um assunto sério.

Parte desses acidentes se deve à fata de treinamento e ao não uso dos equipamentos de segurança por parte dos trabalhadores, além é claro, dos riscos inerentes ao trabalho em si.

Devido a isso foram criadas Normas Regulamentadoras especificas para garantir a segurança dos trabalhadores, essas normas determinam regras de conduta e os EPIs necessários para cada atividade, além de medidas de prevenção.

Existem várias normas, porém há duas que vale a pena destacar, a NR 05 que dispõe sobre a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).

A criação dessa comissão é um dos principais mecanismos para se evitar acidentes, dela participam também os trabalhadores e por ser um setor muito diferenciado é preciso analisar cada caso e cada obra para se constatar as melhores medidas para garantir a segurança dos trabalhadores, esse é o papel da CIPA.

Há ainda o PPRA e o PCMAT (Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção), esse programa é exigido na NR 18, ele busca garantir um ambiente adequado para que os trabalhadores possam desenvolver suas atividades com segurança.

Os riscos mais comuns aos quais os trabalhadores estão sujeitos estão relacionados à desorganização nos canteiros de obra, falta de atenção por parte dos trabalhadores e muitas vezes por ser um trabalho repetitivo o trabalhador acaba ficando desatento em sua atividade.

Os riscos mais comuns nos canteiros de obras são: quedas, choques elétricos, falta de sinalização adequada, ferramentas inadequadas e queda de materiais. Todos esses riscos podem ser amenizados com o uso dos EPIs.

Por isso é importante ter equipamentos e EPIs adequados e dispostos conforme descritos no PPRE ou PCMAT por técnico de segurança do trabalho ou engenheiro de segurança do trabalho, alguns desses EPIs são:

  • Óculos de segurança;
  • Protetores auditivos;
  • Máscaras;
  • Luvas;
  • Calçados de segurança;
  • Capacete dentre outros que se fizerem necessários conforme descritos no PCMAT ou PPRA.

A dica principal, então, é se atentar a todas as indicações presentes nas NRs, depois disso com a ajuda da CIPA, desenvolver políticas de segurança para sua obra especificamente, seguindo esses passos sua obra se tornará muito mais segura.

Decoração com cimento queimado ou polido

Decoração com cimento queimado / polido

Se tratando de construção ou reforma, algo que não é novo, mas está em alta com cara de novidade é a utilização da técnica que deixa cimento com aspecto queimado, a ideia é que essa técnica seja usada também para decoração.

Como é criado o efeito de cimento queimado / polido?

O cimento queimado / polido é basicamente um composto de: cimento, areia e água, que juntos formam uma argamassa que será aplicada sobre uma superfície já nivelada, o objetivo é que o resultado fique o mais plano possível.

Após a aplicação surge o diferencial dessa técnica, com essa mistura nivelada e ainda úmida, joga-se pó de cimento por cima da superfície espalhando-o bem. Apesar do nome, em nenhum momento é usado fogo ou maçaricos nessa técnica.

Vantagens do uso do Cimento queimado / polido

Uma das vantagens da utilização dessa técnica é seu baixo custo, além é claro do contraponto perfeito entre o rústico e o sofisticado que é capaz de causar nos ambientes.

Onde usar o cimento queimado / polido na sua casa?

Você pode se fazer uso dessa técnica aplicando tanto no piso quanto nas paredes, além de poder ser colocado em cubas, banheiras, mesas, bancadas e etc.

Uma boa escolha é fazer uso dele no teto, ao invés das aplicações em gesso ou do branco simples. O cimento queimado / polido pode ser peça chave na hora de complementar a decoração do espaço, principalmente em áreas comuns, como salas de estar e de jantar também.

Dica massa

Combine o estilo rústico do cimento queimado / polido com luminárias modernas.

Deixe seu ambiente moderno e rústico ao mesmo tempo

Outro espaço no qual o uso do cimento queimado / polido é possível é nas áreas gourmets, nesse caso além da estética o uso dele acaba sendo útil, pois geralmente são áreas externas, onde o rústico se insere melhor, nesse caso as possibilidades de combinação com a decoração são ainda maiores, podendo ser aplicado nas paredes, pisos ou teto, mas não use em todos os lugares

Combine esse efeito rústico com objetos de decoração mais modernos, o uso do cimento queimado trará bastante sobriedade ao ambiente.

Como em todas as técnicas existem alguns pontos negativos, essa técnica pode não se dar bem em espaços muito úmidos, porém esse e outros fatores podem ser contornado se o trabalho for executado por um bom profissional. Então, se você está procurando um diferencial para a decoração da sua obra, fica aí uma excelente dica, com ótimo custo/benefício.

Juntas de Dilatação em Pisos de Concreto e suas Manifestações Patológicas, o que são e para que servem?

Juntas de Dilatação em Pisos de Concreto e suas Manifestações Patológicas, o que são e para que servem?

Juntas de dilatação serradas em pisos de concreto são fundamentais para permitir as movimentações do concreto e a adequada transferência de carga entre as placas, assegurando o seu nivelamento e qualidade do piso. Todo piso industrial em concreto está sujeito a tensões devido a diversas causas.

Uma das manifestações patológicas que ocorrerem nos pisos de concreto são as fissuras, elas podem ser tanto transversais quanto longitudinais e a causa está ligada a retração volumétrica (autógena), plástica, por secagem ou hidráulica, química e térmica.

O processos construtivo utilizado atualmente prevê a concretagem em faixas limitadas em sua largura pelas juntas longitudinais de construção. Logo após o processo de acabamento do concreto (polimento), deve – se iniciar o corte das juntas transversais de retração, também conhecidas como juntas serradas. O melhor momento de início dos cortes transversais devem ser entre 10 horas e 24 horas após o lançamento do concreto, porém, existe um grande variação de acordo com o tipo de cimento, temperatura ambiente, relação água/cimento, tipos de aditivos entre outros fatores. O corte deve ter uma profundidade da ordem de 1/3 da espessura do piso, recomendando – se no mínimo 40 mm.

Seguindo estes processos de execução, o piso executado terá maior durabilidade e menor incidência de fissuras.

Veja algumas dicas úteis para a execução dos pisos:

  • Faça o planejamento adequado dos cortes antes de começar a ser executado;
  • Use serras adequadas (diamantadas);
  • Observe que nas juntas transversais, a profundidade ideal é de 1/3 da espessura do concreto;
  • Após a concretagem, realizar a cura adequada no concreto.

Por fim, cabe dizer que é preciso ter um profissional competente e devidamente qualificado para realizar este tipo de serviço, pois esse procedimento é fundamental para uma maior durabilidade do seu piso de concreto.

Três passos para assegurar seu investimento na construção civil

Três passos para assegurar seu investimento na construção civil

Mesmo em situação de crise o mercado da construção vem passando por um bom momento, isso significa que investir nesse ramo pode ser um bom negócio.

Como em todo negócio um dos pontos a se considerar é o lucro em relação ao que foi investido. Mas se após a construção finalizada o tempo para execução da venda for muito extenso, talvez outros investimentos sejam mais compensatórios.

Porém se você quer se lançar nesse tipo de investimento, veja três estratégicas que separamos para você assegurar seu lucro após o investimento.

Escolha um bom terreno

Nesse momento não pense somente na localização privilegiada do terreno. Existem um série de fatores que contribuem para valorizar ainda mais o seu investimento, são eles: topografia, tipo de solo, zoneamento e limitações, infra estrutura da região e até a posição em relação ao sol.

Evite desperdícios ao máximo

Quando falamos em desperdícios não estamos nos referindo somente ao material utilizado em sua obra, o fator tempo também é um poderoso medidor do sucesso do seu empreendimento. Tendo em mente a ideia que “Tempo é Dinheiro”, procure formas de otimizá-lo, a G10 Concreto fornece o concreto usinado que além da qualidade tem como umas das principais característica a economia de material, pois será entregue a quantidade ideal para cada etapa da sua construção, além de tempo na aplicação. A G10 Concreto oferece também serviços de bombeamento que fará toda diferença no seu projeto. Outra ideia para economizar tempo é informar a equipe sobre o que deve ser feito e quanto tempo será necessário para cada etapa da construção, para isso, tenha sempre o controle dos cronogramas e prazos bem definidos.

Divulgue seu empreendimento

Após o término da obra é hora de utilizar as ferramentas disponíveis para divulgar que seu negócio está à venda. Procure alguma imobiliária da sua cidade, geralmente elas possuem alguma página na internet que podem ajudar na divulgação do seu novo imóvel. Mas não se prenda a isso para que seu imóvel fique conhecido, o boca a boca ainda é uma ferramenta muito poderosa, utilize-o também.

Esses passos são básicos e serão aplicados sempre que um novo empreendimento for iniciado. Com o tempo e experiência adquirida essas análises irão se tornar básicas e outras mais complexas farão parte do seu projeto podendo otimizar ainda mais seu investimento.

Vai comprar imóvel na planta? Não perca 6 dicas essenciais.

Vai comprar imóvel na planta? Não perca 6 dicas essenciais

Comprar um imóvel na planta tem se mostrado uma boa opção boa opção para quem quer ter a casa própria. E uma das vantagens é que o valor do imóvel nessa modalidade é cerca de 20% a 30% mais barato, o que o torna muito atrativo, porém como qualquer outro negócio, este também tem seus riscos. E pensando nisso preparamos 4 dicas essenciais que poderão ajudar a minimizar esses riscos.

Defina qual o tipo de compra.

Você deve definir se esse tipo de compra atende as suas necessidades, pois se trata de uma compra de longo prazo, se você tem necessidade de um imóvel em curto prazo, essa não será uma boa opção.

Faça pesquisas sobre a construtora

Se a compra em longo prazo for possível para você, então o próximo passo é pesquisar sobre a construtora, pesquisando na internet você pode facilmente descobrir as informações que precisa, no site da ITC(Inteligência Empresarial da Construção) você encontra o ranking das maiores construtoras do país.

Verifique as documentações

Fique atento à documentação, peça uma cópia do Memorial de Incorporação da Obra, caso seja negado ou aleguem que ele ainda não existe, fuja, pois é crime iniciar uma obra sem este documento.

Guarde qualquer documento relacionado a construtora

Para sua proteção guarde toda a documentação que envolva a compra, desde um simples folder até os contratos assinados, para o caso de ter problemas no futuro.

Faça o registro do documento

Assim que possível faça o registro o documento de compra e venda em cartório, além de lhe dar segurança do ato de compra esse registro impede que a construtora faça alterações na construção sem lhe consultar antes.

Pesquise a política de juros

Fique sempre atento a política de juros adotada, em alguns casos não há cobrança de juros até a entrega das chaves, porém após isso eles são cobrados abusivamente ou até retroativamente, é preciso ficar sempre atento às entrelinhas.

Se você seguir essas dicas você poderá evitar maiores precauções que causam prejuízo e dor de cabeça no futuro!

Todos esses passos podem ajudá-lo a não cair em uma armadilha. E se estiver confiante com a construtora e demais prestadores do serviço, faça uma visita à obra para ter uma boa ideia de como será o local de sua futura casa.

Usando o FGTS para comprar ou construir sua casa

Usando o FGTS para comprar ou construir sua casa

Como é sabido o governo federal liberou o saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de contas inativas para os trabalhadores que tem direito a ele, analisa-se que esse dinheiro foi ou será usado para pagar dívidas ou com outras despesas que as famílias estavam deixando de lado em razão da crise.

Porém, esse não é o uso a que se destina esse fundo, ele foi criado  para proteger o trabalhador demitido sem justa causa e pode ser usado na compra da primeira casa própria ou na construção desta e para esse fim a conta não precisa estar inativa, ou seja, a qualquer momento que o trabalhador desejar fazer uso desse fundo para esse fim será possível.

Para fazer uso desse dinheiro é preciso atender a alguns requisitos mínimos:

  • É preciso haver pelo menos 36 meses de depósitos no fundo
  • O beneficiário não pode ter outros imóveis em seu nome

Lembramos que essas regras podem ser melhor explicadas e negociadas em uma agência bancária autorizada a realizar o uso do FGTS.

Dito isso cabe esclarecer que esse uso do FGTS fará parte de um financiamento maior, mesmo porque, na maioria dos casos não é possível realizar a compra ou obra, apenas com o valor do FGTS.

E quando se faz um contrato desse tipo com a Caixa Econômica Federal por exemplo, é preciso observar rigorosamente os prazos estipulados por ela, quem já realizou esse tipo de transação sabe que é preciso cumprir etapas específicas da obra para que a Caixa faça a liberação dos valores.

Aqui fica nossa dica de ouro, escolha prestadores de serviços capazes de cumprir esses prazos, para não ter dor de cabeça depois, a G10 Concreto tem equipamentos modernos justamente para ajudar nisso, ganhar tempo, economizar material e cumprir os prazos determinados para a conclusão da sua obra.

Dessa maneira será mais fácil realizar o sonho da casa própria.

Quais os custos e despesas diretas e indiretas de uma construção?

Quais os custos e despesas diretas e indiretas de uma construção?

Quando pensamos em iniciar uma construção, seja de grande ou de pequeno porte uma das dificuldades que a maioria das pessoas enfrentam é mensurar o custo total desse empreendimento, por isso é tão comum encontrarmos obras inacabadas e muitos construtores queixosos porque sua obra ou reforma não acaba nunca e já está muito mais cara do que o planejado.

Para estipular um valor a ser gasto que corresponderá à realidade encontrada ao final da obra deve-se conhecer bem os tipos de despesas que se terá.

O primeiro passo a ser dado é fazer um orçamento, com ele você saberá quais os custos que a obra terá, existem dois tipos de custos: os diretos e os indiretos, sendo:

Custos Diretos

Consistem nos custos relacionados aos serviços diretamente relacionados à obra, isto é, são custos obtidos pela soma de gastos com produtos e serviços utilizados diretamente na construção, por exemplo: escavações, concreto, armação, elevadores, quadros elétricos, cujos consumos são contabilizados com maior facilidade na unidade de medição e de pagamento dos serviços.

Custos Indiretos

Os custos indiretos são aqueles decorrentes de atividades e serviços que não estão diretamente relacionados com a obra, mas que contribuem indiretamente para a execução dos serviços utilizados nela. Por exemplo, o engenheiro residente, o gerador provisório de energia elétrica, o refeitório e o alojamento estão relacionados indiretamente com todos os serviços.

Impostos

São todas as taxas e tributos que se paga sobre todas as atividades relacionadas à execução da obra do início até o final.

Além disso, existe um cálculo, que no ramo da construção é chamado de BDI (Benefício e Despesas Indiretas), ele é uma margem usada para calcular o valor de venda de uma construção, porém ele pode ser utilizado para calcular o seu custo, ajudando assim na formulação de um orçamento mais real.

O BDI é a soma de todos os custos diretos e indiretos, juntamente com os impostos mais o lucro que se deseja obter com a venda da obra, para realizar seu cálculo é preciso ter todos os dados da obra em mãos, há uma série de manuais na internet instruindo como fazer esse cálculo.

Esses são os fatores principais a serem considerados no momento de elaborar um orçamento para sua obra, lembrando que cada obra deve ser avaliada individualmente. Dedicando tempo e esforço na hora da preparação do orçamento, será possível chegar ao fim da sua obra sem grandes surpresas.